Cart

Canto Para Mnemosyne – Clara Bordinião

0 out of 5 based on 0 customer ratings
0 classificações Adicione sua classificação
Disponibilidade: Em estoque

R$ 39,70 R$ 27,79

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :

Conheci a poesia da Clara Bordinião há tempos e da maneira que mais me impacta: performada pela poeta, num palco, em estado puro e profundo da poesia-corpotodo-voz-em-si. Agora então é alegria imensa sabê-la em livro, nesse Canto para Mnemosyne, em que a musa despertada em palavras sussurro e grito são paixões que brotam, que voltam, que vencem. Feito confidências duma redenção de chuvas e luas, feito a mãe que embala, feito alvoroço dos olhos e dos corpos, feito as janelas e as distâncias que não contém.  

Aqui é no meio da praça, no petit-pavê vermelho, nos cinzas e na flor no coração que vibra: poesia de Clara. O que nunca se esquece, ao que se pensa ser realidade e gozo – mil teatros sem máscara e um leão iluminado. Despedidas e afagos e cavalos e sinais na pele e a estrofe-vida tão na rotina dos pássaros. Tão na rotina dos abraços esquecidos e em tudo que vinga, e refloresce. 

Como os ipês e as águas. Prosa e poesia: palco de Clara, música de Clara. Voz em poesia de apelos e respostas e novas perguntas. Olhar transcendente em que vésperas transbordam. Vésperas atravessam o mundo e respiram e contam o que querem contar naquilo que não foge. Naquilo que é o canto intenso, o fluxo, o ritmo do rosto que se estreia: naquilo de ser tudo isso de Clara Bordinião. 

                                                    Luci Collin

Outono 2021

ISBN: 978-65-89624-01-1 

88 pág.

 

Acesse nosso canal no Youtube: Kotter Tv

 

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :
SKU: 9786589624011  Categorias: , , ,

Canto para Mnemosyne é uma confidência poética de paixões do corpo, da mente e da linguagem. À musa mãe de todas as musas, Clara Bordinião canta memórias e desejos íntimos e cotidianos, mas também coletivos e epifânicos. Sob as chuvas de Curitiba, seus poemas mesclam infâncias, maturidades e velhices de amantes, de mães, de Clarices, de Marielles, de Cecílias e de “tantas outras de nós, mulheres”.

Seu Canto resiste à rigidez máscula da classificação genérica e se apresenta como um poema que tem corpo e que se sabe performance. Subverte as convenções da forma e dos sentimentos colocando em cena “boemia, política e resistência”. É canto, carta e memória, mas também é burlesco e experimento de formas e de linguagens. No palco de suas páginas, se ouvem vozes plurais e necessárias.

Lido como uma coletânea de poemas independentes ou como um único corpo poético, Canto para Mnemosyne insinua-se, no contexto histórico-literário de sua publicação, como um épico possível das vicissitudes de mulheres que habitam uma realidade fragmentária e brutal na qual atuam, se encontram e se expressam em “metapoesia eterna” “e ali tudo se completa”.

Jaqueline Bohn Donada

Clara Bordinião

 

Natural de Curitiba, formada em Letras Português pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, teve seu primeiro contato com a escrita poética aos 14 anos com a leitura dos poemas de Cecília Meireles, que logo a encaminharam a consumir a poesia de outras e outros tantos poetas da literatura brasileira e estrangeira. Dentro do curso de Letras fez experiência de outras formas poéticas, sempre flertando com o teatro, a política e outras artes performáticas. Lésbica assumida, experimenta da sexualidade e da manifestação dos corpos em seus poemas, buscando aprofundar sua poesia nos prazeres e desejos do corpo feminino.

Hoje, aos 29 anos dedica-se a arte burlesca e transformista, buscando sua inspiração dentro das performances do Burlesco curitibano e no movimento Drag Queen e Drag King da capital paranaense.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Canto Para Mnemosyne – Clara Bordinião”

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vendor Information

0 de 5

Bucólico Desatino – Sálvio Nienkötter

R$ 44,70 R$ 31,29
No título deste livro de contos que o leitor tem em mãos, há pelo menos duas ironias. A primeira delas diz respeito ao bucolismo. O termo remete aos poetas árcades e, consequentemente, aos valores greco-latinos de locus amoenus e aurea mediocritas, ou seja: à singeleza de uma vida feliz no campo, homogeneamente harmônica, sem excessos ou ambições desestabilizantes. A segunda,...
4.67 de 5

Comunicação Política – Leonardo Stoppa e Sálvio Nienkötter

R$ 59,70 R$ 41,79
  As novas tecnologias mudaram abruptamente tudo, e na comunicação política as verdades estabelecidas se desmancham no ar na velocidade com que caminham os bytes nos cabos ópticos em todo o mundo. Inicialmente os setores progressistas se beneficiaram dessa mudança, por se tratar, em geral, de pessoas com maior desenvoltura no mundo virtual e principalmente melhor aparelhadas para escrever em...
0 de 5

Ou o Silêncio Contínuo – Poesia Reunida 2007-2019 – Marcelo Ariel

R$ 134,70 R$ 94,29
"Marcelo Ariel é um dos grandes poetas brasileiros em atividade, isso não se discute. Esta reunião de sua poesia mostra potência em várias formas, no embate político, na deriva filosófica e no recurso jazzístico ao improviso. Ariel transita entre ruelas e vastos espaços, o silêncio solitário e o berro da guerrilha, enquanto ele próprio faz da autometamorfose poética uma ética....
0 de 5

Cursivo Menor – António Vera

R$ 74,70 R$ 52,29
António Vera [José] António Vera [de Azevedo] nasceu em Lisboa, na freguesia das Mercês, a 22 de junho de 1923, e faleceu na mesma cidade a 26 de dezembro de 2012. Trabalhou desde muito novo: empregado no comércio, em seguros, na Contabilidade Pública e, de 1958 a 1987, nos serviços da Emigração como representante do governo português para os assuntos...
0 de 5

Os Touros de Basã – Marco Aurélio de Souza

R$ 44,70 R$ 31,29
Em Os Touros de Basã, a cadência narrativa – seja controlada e ondulante, seja dominada pelo escracho – se abre para apresentar figuras torpes, violentas e miseráveis, construídas sem a utilização de estereótipos. Os contos dialogam com a acidez da vida em sociedade, com seus bêbados e vagabundos deambulando pelas calçadas, o sentimento deturpado de justiça pela sensação de impunidade, a cultura popular com seus machistas, seus fuxicos e seus tabus.  Essencialmente, suas histórias são críticas à realidade social. Por jogarem luz sobre os inúmeros conflitos...
Carregando...
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
👋 Oi em que posso ajudar?