Cart

Mojubá – Claudio Daniel

0 out of 5 based on 0 customer ratings
0 classificações Adicione sua classificação
Disponibilidade: Em estoque

R$ 59,70 R$ 41,79

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :

Mojubá, primeiro romance do poeta, escritor e crítico literário Claudio Daniel, é ambientado na cidade de Salvador, marcada pelos graves problemas políticos e sociais da atualidade, como a intolerância religiosa, o racismo, a homofobia, a misoginia, o neofascismo e a violência policial contra jovens negros dos bairros de periferia e outros setores discriminados da sociedade brasileira. Os personagens do romance são os orixás da tradição religiosa afrobrasileira, representados como advogado (Xangô), serralheiro (Ogum), dançarina (Iansã) e secretária (Oxum), e a narração é feita em primeira pessoa, por João Mojubá, que é ninguém menos que o orixá Exu. As peripécias centrais da narrativa deste romance – ou rapsódia, como disse Mário de Andrade a respeito de Macunaíma – parodiam as histórias orais da tradição iorubá (ou itãs), apresentadas em situações contemporâneas, numa linguagem híbrida, que mescla os recursos da prosa com os da poesia – no caso, os orikis, ou poemas cantados de origem iorubá, que até hoje são cantados nos terreiros de candomblé. A narrativa principal de Mojubá é mesclada a várias outras pequenas histórias, nas quais são contadas a origem, atributos e ações mais conhecidas de cada orixá, ambientadas nos dias de hoje, envolvendo ainda a questão ambiental, as crises de saúde pública e outros temas do Brasil contemporâneo. Amor, preconceito, violência, denúncia social e cultura popular são alguns ingredientes desta obra, que apresenta ainda momentos de humor e irreverência, em meio à tragédia em curso no país.

 

Capista: Paula Villa Nova

Verão: 2021

ISBN: 978-65-89624-07-3

152 pág.

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :
SKU: 9786589624073 Categorias: , ,

Claudio Daniel é poeta, escritor e crítico literário. Doutor em Literatura Portuguesa pela USP, foi curador de literatura no Centro Cultural São Paulo, diretor adjunto da Casa das Rosas e colunista da revista CULT. Publicou, entre outros livros, Cadernos bestiais, breviário da tragédia brasileira (Lumme Editor, 2018) e Marabô Obatalá (Kotter, 2019), ambos de poesia.  Mojubá é o seu primeiro romance.

 

 

 

 

 

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Mojubá – Claudio Daniel”

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vendor Information

0 de 5

Ninguém é Inocente em São Paulo – Ferréz

R$ 44,70 R$ 31,29
Disponível   Ferréz escreve com conhecimento de causa. Como seus personagens, o autor transita por várias periferias, e seu escritório é nas ruas e bares, e com pequenos rascunhos nos bolsos que termina seus livro entre vielas e barracos. Em 2018 foi apelidado de “datilógrafo do gueto” por estar sempre armado de contundência e urgência nas suas palavras. Com autoridade...
0 de 5

Século das Luzes – João Pacífico

R$ 39,70 R$ 27,79
SENDAS -   Dança Farfalham as persianas num bailado aleatório   Uma fumaça sobe do café que vai embora   Um sopro de fora guia a dança trazendo um sussurro do planalto dos ventos uivantes   Inverno 2020 ISBN: 978-65-86526-19-6 92 pág.   Acesse nosso canal no Youtube: Kotter Tv
0 de 5

Marabô Obatalá – Claudio Daniel

R$ 39,70 R$ 27,79
Falta temporária   Oriki é o poema ritual da tradição iorubá, cantado até hoje nos terreiros de candomblé, celebrando os orixás. Quem introduziu o oriki no Brasil foram os negros africanos, escravizados no período colonial-monárquico, que conservaram as suas tradições religiosas sob o aparente sincretismo com o culto aos santos da devoção cristã. As primeiras traduções desses textos orais para...
0 de 5

Memórias do Estábulo – Lucas Lazzaretti

R$ 39,70 R$ 27,79
Um poema anti-épico como as Metamorfoses de Ovídio ou a Invenção de Orfeu de Jorge de Lima. Um livro de poemas que conversam com o elevado peso do chão, com a subjetividade sublime do tédio e com o que sobrou de nossa condição outrora homérica. Um Prufrock equino de nome Alfredo Pazzo, um "golpear com a nuca o pasto seco / e estar no barro do próprio tempo / e ser a escuta de algum vácuo."  O livro do poeta,...
Carregando...
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
👋 Oi em que posso ajudar?