Search

O nevoeiro ou sobre o pampsiquismo

PRÉ-VENDA

disponível a partir da primeira quinzena de agosto de 2024. 

***

Neste livro, Vitor trata das entranhas do ser humano. Seus desejos, suas demandas, sua luxúria, seus medos e seus pecados. Não deveria ser algo bonito, mas o autor faz ser. Ao menos, esteticamente. A poesia nestas duas histórias se traja em vestes de tamanha gala, que por vezes chegamos a ver beleza no que ela nos conta.
É fascinante vermos para os horrores que Vitor Bellucci nos conta, e por vezes nos pegarmos atraídos, mesmerizados e encantados por eles. Esse magnetismo faz com que a leitura destas páginas seja rápida e prazerosa.
Se este for seu primeiro contato com os versos desse poeta, esteja preparado, pois o impacto é imenso. E caso já tenha lido outras obras do Vitor, este aviso é inútil, pois você já sabe que nunca estará preparado para o que vem.
De qualquer modo convido você a virar as páginas, tomar fôlego, e mergulhar neste escuro mundo de pecados brilhantes pintados por ele.
Como um belo retrato mortuário. 

 Douglas Cordare – tradutor e poeta 

 

***

O nevoeiro ou sobre o pampsiquismo

Autor: Vitor Bellucci. –
1 ed. 2024.
100 páginas

16X23 cm

ISBN 978–65–5361–327–0

R$ 49,70 R$ 34,79

Consulte o frete e o prazo de entrega:

O Nevoeiro ou Sobre o Pampsiquismo de Vitor Bellucci

Exploração das Entranhas Humanas

No livro O Nevoeiro ou Sobre o Pampsiquismo, Vitor Bellucci mergulha nas profundezas dos desejos, demandas, luxúrias, medos e pecados humanos. Este tema, embora possa parecer sombrio, é transformado pelo autor em algo esteticamente belo. A poesia presente nas duas histórias veste-se de gala, revelando uma beleza inesperada nos horrores narrados.

Magnetismo Poético

A habilidade de Vitor Bellucci em atrair e encantar o leitor com seus versos é fascinante. Seu magnetismo faz com que a leitura dessas páginas seja rápida e prazerosa. Para aqueles que estão tendo o primeiro contato com a obra do poeta, preparem-se para um impacto significativo. Aqueles já familiarizados sabem que nunca se está realmente preparado para o que vem.

Mergulho no Mundo de Pecados Brilhantes

Independentemente da familiaridade com a obra de Vitor, a experiência de leitura é inevitável. Vire as páginas, respire fundo e mergulhe neste mundo de pecados brilhantes pintado pelo autor. A obra se assemelha a um belo retrato mortuário, cheio de intensidade e beleza.

A Confraria Poética e a Temática dos Contos

Durante a pandemia de COVID-19 em 2020, surgiu a ideia de fundar um grupo de poetas que navegasse entre o gótico e o ultrarromantismo. Vitor Bellucci, com sua temática assustadora e magnitude poética, foi um dos primeiros nomes pensados para essa confraria. Seus poemas narrativos, que mostram tanto entidades fantásticas de horror quanto a podridão da alma humana, são impressionantes.

Narrativas Poéticas e o Eu-Lírico

O livro apresenta duas novas narrativas que, como as obras de Augusto dos Anjos, contam poeticamente o decaimento vicioso do ser humano. É uma espécie de espelho escuro, mostrando quem podemos ser, mas não queremos admitir.

Escrita Durante a Pandemia

Os contos foram escritos no inverno de 2019, na biblioteca da UFABC, sob a influência de Lord Byron, Edgar Allan Poe e Marquês de Sade. “Uma Página de Dom Juan” é um dos contos que reverberou profundamente, levando Vitor a escrever um poema épico durante a pandemia. Este poema, ainda não publicado, teve “Uma Página de Dom Juan” como sua introdução.

***

 

Vitor Bellucci, paulista e paulistano, nascido em fevereiro de 1996, Bacharel em Ciências e Tecnologias, pela UFABC, onde atualmente cursa Licenciatura e Bacharelado em Matemática. Entre muitas aulas e os estudos, refugiado na biblioteca da universidade, se infiltrou também no mundo da literatura, lendo diversos autores e estilos diferentes. Sua obra, até o momento, reflete o mundo da literatura do século XIX, autores como Goethe e Lord Byron, no século XXI.  
 
É autor de outros livros, ainda não publicados, de poemas, contos e romances. 
 
Com a Kotter, publicou o livro: O Retrato Mortuário (2019)