Cart

Catarse de um Sísifo Frustrado – Max Diógenes

0 out of 5 based on 0 customer ratings
0 classificações Adicione sua classificação
Disponibilidade: Em estoque

R$ 59,70 R$ 41,79

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :

SINOPSE 

 Jean Carlo, um jovem com 19 anos de idade, consegue seu primeiro emprego com carteira assinada. Vai trabalhar na linha de produção, em grande empresa do ramo automobilístico, ganhando salário muito acima da média, se comparado ao que é geralmente pago aos trabalhadores de qualquer ramo em sua região. Passa a consumir mais e melhor… Mas a felicidade não vem… 

Entende que, com aquisição de conhecimento, com a formação em uma profissão – psicólogo – a vida ficará melhor… Encanta-se com o contexto acadêmico; sente que cresce pessoalmente; almeja modificar o mundo com o que aprende… Entretanto, a coisa não tem o desfecho que planejara… Frustra-se profundamente… Aos 31 anos, solicita que eu o ajude a escrever sua história… A experiência do relato serve como catarse; vomita o que lhe incomoda… 

Você aí… É… Você, mesmo… Que está com o livro em mãos lendo essa sinopse… Conhece alguma história similar a essa? Quantos frustrados conhece? 

Seria, você mesmo, um frustrado? Que loucura, óbvio que não… 

Mas, se tem interesse em refletir sobre possíveis determinantes da frustração na atualidade, vem com a gente…  

 

Sobre este livro

As coisas, umas poucas vezes, vez ou outra, ou quase sempre, podem não funcionar para você, do modo como desejaria que funcionasse. E, nos tempos líquidos da sociedade do cansaço – Bauman e Byung –, você se cobrará visceralmente para atender às muitas expectativas historicamente criadas, socialmente disseminadas e por ti incorporadas. Sucesso e reconhecimento profissional podem constar na lista de seus maiores desejos. 

Não haverá tempo e espaço para o êxito de todos. E se você, tanto quanto eu – o escritor – ou Jean Carlo – o protagonista –, pertencer ao enorme grupo, à maioria esmagadora das pessoas que, depois de sonharem alto, vieram a se frustrar… Calma… “Deixa rolar… Só quando perdemos tudo é que estamos livres para fazer qualquer coisa”, já nos ensinara Tyler Durden… 

Há um espectro que ronda o mundo – o espectro da frustração. Todas as potências da sociedade “livre”, como os sacerdotes do Day-Trade, do empreendedorismo e do ideal de qualidade de vida, unem-se para conjurá-lo: o presidente e seu guru residente nos States; Guedes, os economistas da mídia profissional e os vendedores de cursos de mercado de ações no Youtube; os “radicais” – tontos – do MBL e os apresentadores do “Bem-Estar” e do “É de Casa”. 

Contudo, obviamente, todos, infelizmente, fracassarão no esconjuro; não há como exorcizar do mundo, a frustração… 

Então, o que nos resta? Esperança? Oração? Resignação? 

Bem… O processo é longo… Venha refletir e tentar compreender algumas “cuestões” conosco… 

 LEIA MAIS- 1º capítulo

Possível data de lançamento: segunda quinzena de Agosto

ISBN: 978658962457-8

Número de páginas: 176

Formato: 15X21 cm

wws Suporte / Perguntas de pré-venda Preciso de ajuda? Fale conosco via WhatsApp
Quantidade :
SKU: 9786589624578 Categorias: , , ,

Sobre o autor

Max Diógenes nasceu na fictícia cidade de Bouville – não na litorânea e francesa de Sartre; mas na igualmente provinciana, porém, paulista; do interior; é bacharel em Psicologia, desde 2014 e proletário, desde sempre. 

É amante da culinária das massas, sestas pesadas, cerveja gelada, leituras nefastas, arte transloucada, escrita embriagada… 

Vez ou outra colabora com textos para blog que satiriza o município em que reside. Fracassou em quase –?– tudo que tentou, e agora, publica seu primeiro livro. 

Contribua com o autor adquirindo diretamente um exemplar autografado, solicitando pelo e-mail janabonardi@gmail.com. Fone (11) 973928894.

Dimensões15 × 21 cm

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Catarse de um Sísifo Frustrado – Max Diógenes”

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vendor Information

0 de 5

Procurando Pessoa – José Alfredo Santos Abrão

R$ 39,70 R$ 27,79
O anjo (ou criatura superior a maniqueísmos), narrador desta novela de José Alfredo Santos Abrão, persegue Fernando Pessoa, que é perseguido pelo mago hedonista Aleister Crowley.   Crowley, que foi considerado pela imprensa britânica como “o homem mais ímpio do mundo”, por sua defesa herética da liberdade individual e espiritual numa Inglaterra anglicana, extremamente conservadora, cunhou a célebre frase cantada por Raul Seixas: “Faze o que tu queres, há de ser tudo da Lei”. É...
0 de 5

Percursos Afetivos: Uma Cartografia de Histórias – Cadu Cinelli

R$ 44,70 R$ 31,29
PRÉ-VENDA - PREVISÃO PRIMEIRA QUINZENA DE JULHO   Uma praça que cabe no bolso; Borboletas que brotam no peito dos que dançam; Uma boca maldita; Penumbra de um cinema em volúpia; Uma saia amarela Oxúm: são algumas das imagens capturadas numa cidade (extra)ordinária, flagradas no percurso de um sujeito atento às sutilezas do espaço urbano. Através de uma narrativa urgente, Cadu Cinelli nos coloca...
0 de 5

Casulos – Rômulo Moraes

R$ 44,70 R$ 31,29
Se tudo pode ser assunto para o artista, precisaria haver um instante “nobre” em que o assunto se transforma em poesia, do contrário tudo estaria banalizado, tudo seria apenas coleção para o apenas pseudo poeta. Dirão que “é o processo”. Mas precisa haver, também dentro do processo, um instante caótico, ou muitos instantes caóticos, em que a transformação se dá...
0 de 5

Para Um Túmulo Anatole – Stéphane Mallarmé – Trad. Guilherme Gontijo Flores

R$ 74,70 R$ 52,29
Stéphane Mallarmé, antes de morrer, pediu que sua filha Geneviève queimasse todas as suas notas e um conjunto de pequenas folhas manuscritas. Escritas entre 1879 e 1880, depois da morte de seu filho de oito anos, essas páginas chegaram até nós com o título Para um túmulo de Anatole, permanecendo, porém, inéditas até 1961. O autor nunca quis publicá-las nem se referiu a elas em...
0 de 5

Paisagem Circular – Emerson Cruz

R$ 39,70 R$ 27,79
Criticando os escritores alemães de sua época, Schopenhauer, numa passagem dos  seus Parerga e paralipomena, afirma o seguinte: “deve-se usar palavras comuns e dizer coisas  incomuns, mas eles fazem o inverso”. Claro que é uma frase de efeito e, como tal, deve ser  vista com ressalva – como algo que pode conter sua dose de verdade, mas que jamais serve  como regra universal. Lembro aqui, por exemplo,...
Carregando...
WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
👋 Oi em que posso ajudar?