Search

Histórias que a vida conta

PRÉ-VENDA

disponível a partir da segunda quinzena de abril

***

Entre o Café e a Resistência: Narrativas que Tecem Vida e Esperança

A obra “Entre o Café e a Resistência” oferece uma imersão em diálogos que transbordam vida e esperança. Desde as primeiras linhas, o leitor sente-se convidado a um encontro íntimo, como se estivesse partilhando um café e conversas reveladoras. A frase chave de foco, “imersão em diálogos de vida e esperança”, captura a essência do livro.

Espelhos da Vida Cotidiana

Não apenas a autora entrelaça experiências reais com invenções, mas também reflete a complexidade da vida em suas narrativas. Histórias como “Adi, uma antibruxa moderna” e “Será que sou índio” destacam-se, retratando lutas e identidades com uma profundidade que toca a alma.

Teias de Conexões Humanas

O livro não só explora a individualidade, mas também conecta o pessoal ao coletivo. Cada conto é uma janela para contradições sociais, tecidas com a riqueza da experiência humana, e destacam a criatividade e resistência diante de adversidades.

Um Convite à Reflexão Profunda

A autora não só narra lutas contra preconceitos e misérias, mas também celebra a força da simplicidade e da sobrevivência. O livro é um convite à reflexão, desafiando a naturalização das dificuldades e injustiças, e revela a extraordinária natureza do cotidiano.

***

 

Histórias que a vida conta

Eloisa W. Nascimento.

Kotter Editorial, 2024.
112p.
ISBN 978-65-5361-295-2

16X23 cm

 

R$ 54,70 R$ 27,35

Entre o Café e a Resistência: Diálogos de Vida e Esperança

Introdução ao Coração do Livro

Este livro imerge o leitor em “diálogos de vida e esperança”, evocando a sensação de um encontro íntimo, como se estivessem compartilhando um café e conversas reveladoras na cozinha. Cada narrativa desdobra-se como um espelho da realidade, retratando não só as adversidades mas também a intrínseca esperança.

Espelhos da Realidade

A obra entrelaça vivências e invenções, refletindo a complexidade da vida através dos olhos da autora. Suas experiências pessoais em diferentes partes do país servem de pano de fundo para histórias que vão desde a luta de uma mulher independente em “Adi, uma antibruxa moderna”, até a busca de identidade em “Será que sou índio”. Estas narrativas, carregadas de tristezas e esperanças, desvelam a realidade da maioria da população, enfatizando a dignidade surgida na resistência.

Conexões Humanas e Sociais

O livro transcende a individualidade, conectando o pessoal ao coletivo. Apesar de cada conto abordar uma contradição social específica – desde a infância negada até as lutas por terra e identidade –, todos são tecidos com as ricas camadas da experiência humana, destacando as respostas criativas frente às adversidades.

Convite à Reflexão

A autora convida o leitor a perceber as histórias cotidianas como algo extraordinário, desafiando a naturalização das dificuldades e injustiças. Ao narrar as lutas contra preconceitos e a miséria, o livro destaca a força da simplicidade e da sobrevivência, incentivando uma reflexão profunda sobre as dinâmicas sociais e pessoais.


 

 

Eloisa Winter Nascimento, formada em Ciências Sociais pela UFPR, com mestrado e doutorado em Antropologia Social e Sociologia, respectivamente, dedicou-se ao estudo das relações rurais, especialmente dos boia-fria, engajando-se com a CPT. Em 1983, mudou-se para Rio Branco/AC, trabalhando em educação de adultos e pesquisa antropológica, resultando no livro “Rumo da Terra, Rumo da Liberdade”. Como professora da Universidade Federal do Acre, coordenou o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Retornou ao Paraná em 2010 e atualmente reside em Itaparica, Bahia, mantendo uma vida ligada às questões sociais e rurais.