Search

Por Pedro Carrano

 

Notícia de Manoel Ramires, do Porém.net

A pandemia, a crise financeira e o Governo Bolsonaro fizeram com que as negociações coletivas piorar nos últimos dois anos. É o que aponta o Boletim “De olho nas negociações” do Dieese, com base na análise dos reajustes registrados no Mediador, do Ministério da Economia. A pesquisa analisou 4.938 reajustes salariais de categorias com data-base entre janeiro e agosto de 2020, registrados até a primeira quinzena de setembro.

Se em 2018, 9,3% das negociações ocorram com reajustes abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), esses números cresceram para 23,9% em 2019 e para 28,1% em 2020 em um cenário que a inflação diminuiu no país.

Já pelo menos a reposição do INPC ocorreu em 28,9% das negociações deste ano. Os ganhos acima da inflação estão presentes em 43% das negociações. Queda expressiva em relação a 2018, quando 74,8% das negociações trouxeram reajustes acima do INPC.

“As dificuldades em negociar reajustes salariais durante a pandemia são grandes. Vários acordos ou convenções coletivas explicitaram a crise gerada pela Covid-19 como motivo para o adiamento da negociação”, explica o Boletim.

Outra consequência da crise foi o aumento do número de categorias que definiram reajustes de 0% em 2020. Ao todo, somam 373 até 31 de agosto (8,4% do total considerado).

 

Pedro Carrano nasceu em São Paulo (SP), em 1980. Jornalista, militante político e pai da Clara. Tem livros de reportagem e poesia. “Meninos sem Matilha” é seu segundo volume de contos. 

Imagem, Fonte: Portal Viu!

5 respostas

  1. Good day! Do you know if they make any plugins to help with Search Engine Optimization? I’m trying to get my blog to rank for
    some targeted keywords but I’m not seeing very good success.
    If you know of any please share. Thank you!
    You can read similar text here: Najlepszy sklep

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *